Pronto Atendimento Cardiológico

Atendimento ao Paciente

Recomendamos que para um atendimento mais ágil, o paciente deverá apresentar:

  • Receita de todos os medicamentos de uso habitual
  • Trazer os exames cardiológicos já realizados, com o relatório médico.
  • Ter em mãos: RG / CPF / Carteirinha do convênio.

RAPIDEZ NA INTERVENÇÃO

As doenças cardiovasculares são doenças inesperadas e podem ser potencialmente graves. Por isso, a identificação rápida do problema é fundamental. A criação do pronto atendimento cardiológico com médicos cardiologistas, que oferece Centro Cardiológico, UTI adulto, Centro Cirúrgico e Hemodinâmica, permite um tratamento completo, minimizando possíveis complicações.

 

TRIAGEM CARDIOLÓGICA

Os pacientes que chegam ao Hospital com sintomas de dor no peito são prontamente atendidos e encaminhados para o protocolo de dor torácica. Esta ferramenta garante rapidez no atendimento inicial de urgências e emergências, além de permitir a identificação instantânea de pacientes com risco de vida e que devem ser submetidos à monitorização imediata em sala de emergência e à realização de ECG (eletrocardiograma).

Esse serviço é embasado em protocolos com padrões internacionais e toda a equipe de recepção, enfermagem e médicos seguem o mesmo processo, tornando o atendimento, seguro e ágil, garantindo o melhor tratamento.

O pronto atendimento é para acolhimento de pacientes sem agendamento prévio sobre emergências e urgências com atendimento médico, rápido sem a necessidade de marcar consulta.

 

QUANDO PROCURAR ATENDIMENTO CARDIOLÓGICO DE URGÊNCIA?

As principais queixas que motivam os atendimentos cardiológicos são dor torácica (dor no peito), dispneia (falta de ar), palpitações (taquicardia, alterações da frequência cardíaca), síncope (desmaio com perda da consciência e queda) ou pré-síncope (quase desmaio) ou lipotímia (sensação de que pode vir a desmaiar, escurecimento da visão, tonturas, alterações do equilíbrio), e alterações da pressão arterial (hipertensão ou elevação e hipotensão ou queda).

Todas estas queixas merecem uma avaliação, mas principalmente se forem de instalação súbita ou muito intensas. Estas devem ser vistas em pronto-socorro o quanto antes, qualquer que seja o perfil de risco do paciente.

Pacientes com maior perfil de risco para doença cardiovascular também devem procurar uma avaliação mais rápida, mesmo que os sintomas sejam menos agudos ou mais brandos.

 

PACIENTES DE MAIOR RISCO

Pacientes de maior risco são: diabéticos, idosos, portadores de dois ou mais fatores de risco para doença aterosclerótica (diabetes, hipertensão arterial, tabagismo, elevação do colesterol, história familiar de infarto ou morte súbita, usuários de cocaína ou outras drogas estimulantes, obesidade, sedentarismo), ou que já tenham tido alguma doença relacionada à aterosclerose (como acidente vascular cerebral, isquemia cerebral transitória, doença arterial obstrutiva periférica, doença das carótidas, doença da aorta), ou que já tenham alguma cardiopatia de base prévia (infarto, angina, doença coronariana diagnosticada por exames, angioplastia, stent cardíaco, cirurgia cardíaca, insuficiência cardíaca, arritmias cardíacas, doenças das válvulas cardíacas).