CCIH - Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

Usamos a higienização das mãos como prevenção de infecções.

Os germes (vírus, bactérias, fungos) são seres vivos invisíveis a olho nu, e as mãos são um grande reservatório na transmissão destes germes.
Quando não higienizamos corretamente as mãos elas podem ser responsáveis por espalhar esses inimigos microscópicos que podem causar doenças, como por exemplo:

  • Rotavírus: grande responsável por doenças gastrointestinais, podendo ser transferido de uma superfície seca para as mãos, depois desta superfície ter sido contaminada.

  • Escherichia Coli e Salmonella spp: provocam doenças de origem alimentar que são rapidamente espalhadas pelos alimentos e pela falta de higiene das mãos. Essas bactérias podem sobreviver em superfícies como mesas de refeitórios e maçanetas.

  • Rinovírus, adenovírus e vírus influenza: são responsáveis por causar gripes e resfriados. Esses vírus são transmitidos quando entramos em contato com algo contaminado pelos mesmos.

No ambiente hospitalar, a higienização das mãos é considerada a medida individual mais simples, eficaz e menos dispendiosa para prevenir a propagação de infecções.

A higienização apropriada reduz a contaminação das mãos e o risco de disseminação de doenças infecciosas como diarreia e infecção das vias aéreas superiores, protegendo pacientes, familiares, visitantes e profissionais da saúde.
Mesmo quando não houver sabão e água, ainda é possível manter as suas mãos higienicamente limpas. O álcool em gel é desenvolvido para destruir os germes das mãos que não estejam visivelmente sujas, sem a necessidade de água ou toalhas, sendo ideais para situações onde a pia é de difícil acesso.
Devemos higienizar nossas mãos sempre, mas em alguns momentos essa atitude é essencial como: antes de se alimentar e escovar os dentes, antes e depois de visitar ou cuidar de alguém doente, quando for visitar um recém-nascido, antes e após usar o banheiro, após tossir, espirrar e assoar o nariz, depois de tocar em locais que frequentemente as pessoas colocam as mãos, como maçanetas, corrimões, barras de apoio de ônibus, carrinhos de supermercado, etc.

Segue os passos para que você possa fazer a higienização correta das mãos:

 

Mas o que é infecção hospitalar?O Hospital Santa Clara disponibiliza dispenser de álcool gel em todas as Unidades e locais de acesso comum. O próximo passo quem deve tomar é você, higienizando suas mãos!
Pense nisso, crie hábitos e proteja você e quem você ama.
O Hospital conta com o departamento de CCIH que tem o objetivo de prevenir e combater as infecções hospitalares, protegendo os pacientes, os colaboradores e o corpo clínico. Dentre outras ações destacamos o incentivo da correta higienização das mãos, o controle do uso de antimicrobianos, a fiscalização da higienização e desinfecção de artigos e superfícies, e a profilaxia cirúrgica.

 

A infecção hospitalar é aquela adquirida no hospital e que não estava presente ou em incubação quando da admissão do paciente. Ela pode manifestar-se durante a internação ou mesmo após a alta.
Além da equipe de saúde, pacientes e visitantes podem e devem colaborar para prevenir a infecção hospitalar. O primeiro passo é aderir às normas de higienização das mãos. Se estiver resfriado, gripado, com diarreia, conjuntivite e no caso das crianças, com infecções próprias da infância como catapora, não visite pacientes internados.
É importante lembrar que a prevenção pode reduzir o número de pacientes acometidos por esta infecção e com isso, diminuir o uso de antibióticos, o tempo de permanência destes pacientes no Hospital e os danos associados à infecção. Por isso, este deve ser um esforço de todos: profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, fisioterapeutas etc.), visitantes e pacientes.

Vamos compartilhar essa ideia e não os germes!