Saúde em Destaque

17/06/2019

Rinite e sinusite: qual a diferença?

A chegada do inverno é, muitas vezes, acompanhada das doenças respiratórias. Essas costumam ser um grande incomodo, afetam diretamente na qualidade de vida dos pacientes e criam limitações físicas e emocionais. Nessa época do ano, a rinite e a sinusite se manifestam com maior frequência e costumam ser confundidas, apesar de representarem doenças distintas.

O otorrinolaringologista Dr. Alexandre Soares Fogaça de Aguiar explica que atualmente utiliza-se o conceito rinossinusite, popularmente conhecido como rinite. “Ela é a inflamação da mucosa do nariz, causada por infecções virais, como gripes ou, principalmente, por processos alérgicos, no caso da rinite alérgica”, esclarece Dr. Alexandre.

Já a sinusite representa outro quadro. “Se trata de uma inflamação na mucosa das cavidades no interior dos ossos da face. A sinusite, na maioria das vezes, é provocada por bactérias, mas também pode ser causada por vírus, fungos ou em decorrência de alergias”, diferencia o especialista.

O médico alerta que essas doenças são mais comuns no clima frio e seco devido, principalmente, o ressecamento das mucosas nasais. “Essa condição diminui a sua limpeza natural, favorecendo infecções por vírus e bactérias, além da ação de substâncias alergênicas. Associado a isso, no clima frio, há uma tendência maior de ficar em ambientes mais fechados”, informa Dr. Alexandre.

Quanto ao tratamento da rinite, Dr. Alexandre pontua que há diferenças de acordo com a causa da doença. “As rinites causadas por vírus e bactérias, são tratadas como medicamentos sintomáticos, como anti-inflamatórios, descongestionantes, lavagens nasais com soro fisiológico, corticosteroides tópicos e orais e, se necessários, antibióticos havendo a cura após o final do processo”, esclarece.

 Já para a rinite alérgica, que é uma doença crônica, isto é, o paciente sempre será alérgico, o especialista alerta que é essencial um controle ambiental rigoroso. “É preciso evitar as substâncias alergênicas, como poeira, mofo, animais de estimação, cigarros e outros. Além do tratamento medicamentoso, e/ou imunoterapia, o que proporciona um controle bastante satisfatório, com qualidade de vida normal”, explica.

O tratamento da sinusite é semelhante ao da rinite dependendo da causa, infecciosa ou alérgica. “Assim como na rinite, se houver outras doenças associadas, como desvio de septo, polipose, tumores, ou sinusite crônica, pode haver a necessidade de cirurgias, para resolução do quadro”, aponta.

voltar